Imprimir

Douro e Porto

A região de Trás-os-Montes é talvez uma das mais longínquas e das mais agrestes que temos em Portugal. Trás-os-Montes, que significa «para lá dos montes» ou seja também “para lá da civilização”, é a terra que se orgulha de que “quem manda são os que lá estão!” É aqui que crescem as uvas com que se faz quer o Vinho do Douro, quer o Vinho do Porto. Durante séculos, as encostas a pique do Vale do Douro foram domesticadas pelo Homem que pôs as vinhas em terraços que mergulham em direcção ao Rio Douro. O cenário é espectacular nesta região classificada Património da Humanidade pela UNESCO. Embora o Porto seja o produto mais expressivo do ponto de vista dos vinhos, os Douro são produzidos em cada vez maior escala e têm estado a fazer sonhar quer os seus produtores quer ainda, e sobretudo, os seus apreciadores. Os Verões muito quentes e os solos pobres e pedregosos, fazem com que os vinhos sejam de grande qualidade, de cor quase negra, opacos, maduros e com amoras e aromas de Esteva, em tudo semelhantes aos Vinhos do Porto enquanto jovens.

As castas mais interessantes são as tintas: Touriga Nacional; Touriga Franca; Tinta Roriz e a Tinta Amarela. Entre as brancas, o Arinto e a Síria são igualmente importantes. Os passeios e apreciação da Natureza que eles permitem, são absorventes e vão conquistar todos os visitantes da região, sobretudo se aproveitarem da gastronomia e dos vinhos locais.